COMPARTILHAR

PALMEIRAS x CURINTIA – O derby

Estamos falando do 9° maior clássico do mundo, segundo a CNN. Segundo alguns, como eu, na verdade se trata do maior clássico não deste, mas de outro mundo. Deste, pode ser o nono mesmo. Mas muito por culpa deles. Quem sabe se tivessem maior competência na hora de uma disputa de pênaltis nossa rivalidade não fosse mais bem cotada internacionalmente.

Mas não. Eles insistem em perder para nós quando a disputa vai para os penais. Seja no Morumbi, seja no Estádio Público de Itaquera. Seja com São Marcos, seja com Van der Prass. Seja com Marcelinho, seja com Vampeta, seja com Petros ou Elias. Não tem jeito.

Mas não devemos nos vangloriar. Afinal, uma rivalidade não se faz com apenas 1 time. O outro é importante, senão Palmeiras x SPFW poderia ser uma das 24 maiores rivalidades do mundo. Na verdade, talvez esse seja o objetivo delas. Mas voltando ao time da Marginal sem número, acho que não devemos condená-los por sempre perderem para nós, nos penais. Talvez, na verdade, esta seja uma tática para não perderem um jogo importante com a bola rolando. E assim manterem a tão falada invencibilidade. Afinal, derrota nos pênaltis, ainda mais se for contra o Palmeiras, não conta como derrota. É um “empatite”. Perder para nós nos pênaltis já é algo assimilado, natural. Algo normal. O importante é manter a invencibilidade.

Enquanto isso, apenas para atualizá-los em relação aos números do maior clássico do Brasil, veja abaixo o “equilíbrio”:

Maior tabu: Palmeiras-12 jogos (11V – 1E), 1930-1934.

Maior série de vitórias: Palmeiras-6 jogos (1931-1934).

Maior público: Palmeiras 1×0 Curintia, 1974; 120.522 pagantes.

Maior goleada: Palestra Itália 8×0 Corinthians em 3/11/1933.

Goleada mais recente: Palmeiras 4×0 Curintia, Brasileiro de 2004.

2ª goleada mais recente: Palmeiras 4×0 Curintia, Paulista de 1993.

3ª goleada mais recente: Palmeiras 5×1 Curintia, Paulista de 1986.

Enfim, fica dífícil. Das 10 goleadas (4 gols ou mais de diferença) no Derby, 8 foram do Palmeiras. Isso se não quisermos considerar os 3×0 do Obina (2009) e do Edmundo (2007). Estamos falando apenas de jogos com 4 ou mais gols de diferença, para dar um pouco de graça.

Bom… Vamos falar então de jogos “importantes”. Aqueles que decidem. Aqueles que entram ainda mais para a história:

Rio-SP de 93: Curintia 0x2 Palmeiras; Palmeiras 0x0 Curintia. Palmeiras campeão.

Brasileiro de 94: Palmeiras 3×1 Curintia; Curintia 1×1 Palmeiras. Palmeiras campeão.

Nas duas vezes em que se enfrentaram pela Taça Libertadores da América, o Palmeiras eliminou o Curintia nos pênaltis: em 1999, nas quartas-de-final, e em 2000, nas semifinais.

Vamos tentar então olhar mais para trás. Os jogos que inauguraram o derby ou então o estádio que eles mais gostam:

1° jogo: Palestra Itália 3×0 Curintia
Campeonato Paulista de 1917
Gols: Caetano (3)

Inauguração do Pacaembu (estádio que teve o Palmeiras como seu maior vencedor): Palestra Itália 2×1 Curintia
Taça Cidade de São Paulo de 1940
Gols: Echevarrieta, Begliomini (contra) e Luizinho

Enfim. Nos últimos anos tentamos dar uma chance. Tentamos deixá-los alcançar nossos números. Mas na hora que a bola rola, em uma decisão, fica difícil. Nosso alviverde acaba falando mais alto.

Ei, Itaquera! Quer nos alcançar nas estatísticas? Torça para nos enfrentar o máximo possível em jogos comuns. Quem sabe assim… Ah! E torça para que o gol de vocês não dependa de um pênalti. Porque senão…

Avanti, São Marcos! Avanti São Prass! Avanti, Palestra!
@CaneladaSEP
@jmiguelprestes