COMPARTILHAR

A arqueira palmeirense Sarah Nikitin faz a sua estreia nos Jogos Olímpicos Rio 2016 nesta sexta-feira (5), quando, inclusive, ocorrerá a cerimônia oficial de abertura do evento. No Sambódromo do Rio de Janeiro, a palestrina e os demais 127 atletas de tiro com arco vão disputar a fase de qualificação para, até o dia 12, brigar por medalhas nos combates individuais e por equipes.

Nesta etapa de classificação, os melhores arqueiros do mundo atiram 72 flechas a 70m de distância, em duas rodadas de 36 disparos – 720 pontos é a pontuação máxima. As competições masculina e feminina começam às 9h e às 13h (horários de Brasília), respectivamente. Assim, são definidas as colocações dos 64 homens e 64 mulheres, dos times, formados por três competidores, e das chaves eliminatórias: o primeiro enfrenta o último; o segundo, o penúltimo, e assim sucessivamente.

No sábado (6), as medalhas por equipes masculinas estarão em disputa, e Sarah vai vibrar pelos brasileiros Marcus D’Almeida, Bernardo Oliveira e Daniel Xavier. A atleta do Palmeiras/Raycon junta-se às companheiras de Seleção Brasileira Ane Marcelle e Marina Canetta no domingo (7), a partir das 9h, em busca de uma conquista para o país. Essa fase ocorre em sets, com seis tiros por equipe em cada um. Vitória vale dois pontos; empate, um. É o vencedor o time que atingir cinco ou seis pontos. Já os combates individuais serão nos dias seguintes e também são realizados em sets – vence quem somar seis ou sete tentos.

Esta será a primeira Olimpíada de Sarah, que está no seu terceiro ciclo olímpico – disputou os Jogos Pan-Americanos Rio 2007, Guadalajara 2011 e Toronto 2015. Ela conseguiu a classificação no início de maio, quando foi a segunda melhor do Brasil ao término das seletivas. A confirmação da titularidade (há um reserva em cada sexo) veio no começo de julho, após um mês de treinos, simulações e competições na Europa com outras Seleções que estarão no Rio 2016.

“Este é um momento muito especial. O auge de todo atleta olímpico é chegar aos Jogos. E fazer parte disso com o Palmeiras também é diferente porque tem toda a força e o carinho da torcida. Eu recebo mensagens dos torcedores incentivando, e isso é muito legal”, disse Sarah, tricampeã brasileira (2009, 2011 e 2012) e atual campeã paulista. “A nossa principal chance de medalhas é por equipes. Queremos no mínimo ficar entre os oito e temos condições de entrar em uma semifinal”, completou.

Até chegar à Olimpíada, a palmeirense teve uma longa e vitoriosa jornada. Nikitin começou no tiro com arco em 2003, aos 14 anos. Evoluindo a cada temporada – com a participação no Pan de 2007 e o título nacional de 2009 –, ganhou maior projeção em 2011, quando chegou ao Palmeiras e também passou a integrar a Seleção Brasileira, de onde nunca mais saiu.

Sarah ainda fez história em julho daquele ano. Tornou-se a primeira mulher do Brasil e a terceira atleta do país a romper a barreira dos 1.300 pontos do antigo Round FITA 144 com o arco recurvo, o olímpico. Em Maricá (RJ), na seletiva ao Pan do México, ela fez 1.305 dos 1.440 tentos possíveis – era uma marca a ser atingida pelos arqueiros de ponta e projeção internacional. Esse sistema de classificação exigia grande resistência e consistia em 144 disparos, divididos em quatro distâncias do alvo: 70m, 60m, 50m e 30m no feminino e 90m, 70m, 50m e 30m no masculino.

Passados os títulos brasileiros de 2011 e 2012, a palestrina aumentou sua ascensão mundial em 2013. Ela ficou no oitavo lugar no Campeonato Mundial, realizado na Turquia – a melhor colocação de uma brasileira no torneio. Naquela ocasião, quebrou o seu próprio recorde no Round FITA 144: 1.336 pontos, que nunca mais foi superado por uma mulher do Brasil, com o arco recurvo – na época, a pontuação também era a maior entre os homens. No fim da temporada, a palmeirense foi eleita a melhor atleta do tiro com arco do país, recebendo o Prêmio Brasil Olímpico.

Nikitin fez bonito no ano do centenário do Verdão, em 2014. Nos Jogos Sul-Americanos, no Chile, Sarah conquistou o bronze individual, a prata por equipes – ao lado de Ane Marcelle e Marina Canetta, inclusive – e o ouro nas duplas mistas, com Marcus D’Almeida. Já na segunda etapa da Copa do Mundo, na Colômbia, a palmeirense foi vice-campeã novamente com Marcus, garantindo a histórica primeira medalha do Brasil na competição, com o arco recurvo.

A temporada de 2015 também foi importante à atleta do Palmeiras/Raycon. Ela estabeleceu o novo recorde brasileiro da categoria Recurvo Feminino Adulto, com 654 pontos. A palmeirense ainda esteve nos principais torneios nacionais e internacionais, como o Mundial, na Dinamarca, e o evento-teste dos Jogos Olímpicos, no Sambódromo do Rio. Atualmente aos 27 anos, Sarah Nikitin é uma das melhores arqueiras do mundo e representa as cores do Verdão e da Seleção no maior evento esportivo do planeta.

Sarah Sarah Nikitin (3) Sarah Nikitin (2) Sarah_World Archery