COMPARTILHAR

A apresentação de Deyverson passou longe da normalidade. Das lágrimas aos sorridos, o novo reforço do Palmeiras demonstrou a alegria em estar em um patamar que parecia impossível no começo da sua carreira, chorou ao abraçar o pai e até arriscou um samba.

“A minha vida é Deus e o meu pai. Ele é um cara que batalhou por mim, deixava de dar comida em casa para eu treinar. É o cara que deu a vida por mim, o meu herói. Sofri muito, eu acordava às 4 horas da manhã para treinar, fazer teste e nunca tive uma oportunidade. Nunca desisti do sonho de ser jogador e realizar o meu sonho. Não sou melhor do que ninguém, só queria ter espaço no futebol. Vendi salgado na barraquinha… E isso não é tristeza, é orgulho. Se eu não vendesse, talvez hoje eu não estaria aqui no Palmeiras. Sou muito agradecido por ter passado por dificuldades e ter chegado aqui. São nas dificuldades que você encontra os verdadeiros guerreiros”, afirmou o novo camisa 16.

Atacante se emociona e abraça o pai na coletiva

Sem medo de trabalho, atacante largou a música pelo futebol

Com contrato de 5 anos, o atacante afirmou que encarou inúmeros serviços para ajudar em casa durante a infância. “Depois que passou essa turbulência, falei: ‘vender salgado não deu certo, nada deu certo. Virarei pagodeiro’. Tocarei pagode e irei para o mundão. Comecei a tocar (risos). Fiz muitas peneiras e nunca deu certo. Hoje me sinto privilegiado por poder estar subindo de patamar”, comentou.

Mesmo estando há poucos dias no Palmeiras, o jogador já se sente em casa. “Chego ao Palmeiras feliz e honrado pela oportunidade que estão me dando. É uma honra fazer parte deste elenco, um grupo forte e uma grande família. Já vi que todos são muito unidos. Poder honrar este clube é um sonho, sempre sonhei em jogar no Brasil e o Palmeiras me deu esta oportunidade”, disse.

Volta da Europa é reconhecimento de fracasso? Longe disso!

Após seis temporadas no futebol europeu, Deyverson quer ser reconhecido em um gigante do Brasil. “Foi um passo bem à frente, o Palmeiras é um grande clube. A estrutura é de primeira divisão da Europa, o clube tem muita história e tem um grande projeto. Acho que todo jogador tem o sonho de chegar à Seleção Brasileira. Vindo para o Brasil, acho que terei mais chances de chegar à Seleção”, falou.

Ele também afirmou que Palmeiras teve toda sua atenção. “Desde quando eu soube do interesse, deixei tudo de lado pela história do clube. Eu dei uns 10 passos à frente, o Palmeiras é quase europeu. A estrutura que o Palmeiras tem é quase europeia. Não voltaria atrás nunca. É um clube com muitos títulos, eu vim para somar e ajudar. Será o desafio mais difícil da minha carreira. Quero conquistar títulos e ser reconhecido”, revelou.

Por fim, o camisa 16 contou um pouco mais sobre a sua personalidade. “Sou um jogador divertido, brincalhão demais, e isso é importante. Não tenho diferença, temos de ser seres humanos neste mundo, tratar as pessoas como se fossem a gente. Mas, dentro de campo, sou muito sério e rígido. Sou um jogador que luta e ajuda a equipe”, finalizou.

Confira a apresentação de Deyverson na integra