COMPARTILHAR

A final da Copa do Brasil 2015 reservou para Palmeiras e Santos mais uma decisão na rica história do clássico paulista. Pela competição nacional, as duas equipes haviam se enfrentado apenas uma única vez, em 1998, ano do primeiro título do Verdão no torneio – naquela oportunidade, os duelos foram válidos pela semifinal e terminaram em dois empates (1 a 1 em São Paulo e 2 a 2 em Santos, com classificação palestrina pelo critério de gol fora).

Com dois gols de Oséas (um em cada jogo) e um de Darci, o Verdão ultrapassou a equipe do litoral paulista e, na final, venceu o Cruzeiro e levou o troféu da Copa do Brasil para o Palestra Italia. A escalação alviverde no segundo e decisivo jogo, em Santos, foi Velloso; Arce, Roque Júnior, Agnaldo Liz e Júnior; Galeano, Rogério, Darci e Zinho (Pedrinho); Paulo Nunes (Júnior Tuchê) e Oséas (Almir).

Em 2015, as duas equipes também decidiram o Campeonato Paulista. Porém, antes da atual temporada, a última final havia sido em 1959, também válida pela competição estadual – naquela oportunidade, o Verdão superou o Santos liderado por Pelé e garantiu o 13º troféu do Paulistão.

No retrospecto geral de confrontos, vantagem absoluta do Palmeiras. Foram 319 jogos em toda história, com 135 vitórias alviverdes, 83 empates e apenas 101 reveses diante do Santos.

A maior goleada da história do confronto aconteceu em dezembro de 1932, quando o Palmeiras emplacou um sonoro 8 a 0 sobre a equipe praiana. Além disso, a maior série invicta do embate pertence ao Verdão: 15 jogos, sendo 14 vitórias e um empate, entre julho de 1917 e junho de 1926.